Logo Cabra e Ovelha
Advertisement
Publicidade



Serviço orienta criadores para nutrição eficiente de caprinos e ovinos


Foto: Adilson Nóbrega

Adilson Nóbrega - O laboratório móvel do AssessoNutri facilitará a interação com produtores e técnicos responsáveis por coletar amostras para análises

O laboratório móvel do AssessoNutri facilitará a interação com produtores e técnicos responsáveis por coletar amostras para análises

Criadores cearenses de caprinos e ovinos contam agora com um serviço de assessoria com recomendações para orientar a alimentação racional de seus rebanhos. O Serviço de Assessoria Nutricional Remota para Pequenos Ruminantes (AssessoNutri), desenvolvido pela Embrapa, pode reduzir os custos de produção em até 20%, além de agilizar a análise nutricional por meio das fezes dos animais, oferecendo os resultados dos exames e recomendações nutricionais em até três dias úteis. Pelos métodos tradicionais, o tempo de espera pode chegar a 15 dias.

O serviço conta com um laboratório móvel em um caminhão adaptado que irá até as regiões produtoras e fará análises de fezes dos animais por meio de equipamento de espectroscopia no infravermelho próximo (NIRS). Os técnicos poderão orientar sobre suplementação alimentar, por exemplo, em caso de necessidade. O AssessoNutri, que será lançado no dia 6 de julho, durante o XXI Seminário Nordestino de Pecuária (Pecnordeste), em Fortaleza (CE), permitirá monitorar rebanhos e fornecer orientações e indicadores sobre a qualidade da pastagem e dos alimentos disponíveis para os animais.

No primeiro momento, o serviço contemplará apenas a região dos Inhamuns, que concentra os maiores rebanhos ovinos e caprinos do Ceará. Mas a ideia dos pesquisadores que o desenvolveram é ampliá-lo para um alcance nacional, por meio de acesso remoto via internet. O serviço já vinha funcionando, por meio de um projeto-piloto, no Município de Tauá (CE), naquela mesma região.

Uma primeira fase de coletas já foi realizada em abril, durante o projeto-piloto. Os resultados das análises irão gerar um primeiro boletim com orientações específicas para os criadores da região sobre a dieta dos animais, indicando se há necessidade de suplementação alimentar, entre outras informações. A ideia é emitir boletins mensais que serão distribuídos em casas agropecuárias, associações de produtores, entre outras instituições locais, além da divulgação em redes sociais.

Para o técnico agropecuário Uires Loiola, que atua na região de Tauá (CE), a alimentação é uma preocupação muito grande para todos os produtores locais. No período seco, segundo ele, somente o pasto nativo não é suficiente para manutenção dos animais, o que acarreta perda de produtividade.

Esse quadro de disponibilidade de recursos alimentares muitas vezes insuficiente, principalmente no Semiárido, estimulou o desenvolvimento de um serviço que permitisse melhorar a eficiência alimentar dos animais, de forma a manter a melhor produtividade possível por meio do uso racional dos alimentos disponíveis para os rebanhos. A ideia dos pesquisadores era, ao otimizar o uso dos alimentos, gerar também a oportunidade de reduzir os custos de produção para os criadores.

“A nutrição dos rebanhos corresponde a até 75% dos custos de produção em alguns sistemas. Mesmo em sistemas extensivos, o custo também é representativo, embora esse não seja contabilizado pelos produtores”, destaca Diego Galvani, pesquisador da área de nutrição animal da Embrapa Caprinos e Ovinos (CE). De acordo com ele, o maior desafio para implementação de um serviço nos moldes do AssessoNutri é a determinação do balanço de nutrientes, ou seja, a falta ou excesso desses na dieta de animais criados em sistemas de pastejo, principalmente aqueles que têm o pasto nativo como base alimentar. Esse obstáculo é contornado por meio da análise da composição das fezes dos animais.

A partir dessa análise, além de informações mais precisas sobre a alimentação, o AssessoNutri permitirá avaliar a qualidade do pasto nas regiões onde o serviço estiver implantado. “Assim, será possível trabalhar com cenários de produção para orientação dos produtores. Se esperamos que uma cabra produza dois litros de leite por dia, qual seria a demanda nutricional para isso naquela realidade? Haveria necessidade de complementar a alimentação obtida no pasto?”, exemplifica Galvani.

Testes conduzidos pela Embrapa, juntamente com instituições parceiras no Nordeste, Centro-Oeste e Sul do Brasil, permitiram determinar os benefícios do monitoramento nutricional dos rebanhos e da adoção de práticas alimentares orientadas pelo AssessoNutri. Galvani cita experimento na Paraíba, estabelecido em parceria com a Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba (Emepa), que avaliou rebanhos durante todo o ano de 2016. Dentre os indicadores avaliados, o pesquisador destaca a redução de mortalidade de cabritos em 15% e o aumento na produção de cabritos por matriz [fêmea] em 26,8%.

“Nós estimamos que, para um produtor com um rebanho de 50 animais, a nutrição adequada por meio do acompanhamento nutricional pode trazer um acréscimo anual de R$ 2.400 à sua renda. No caso de Tauá (CE), por exemplo, estima-se que se 10% dos produtores locais usarem este serviço, haveria a possibilidade de injeção de R$ 1,4 milhão por ano na economia local”, destaca o pesquisador.

O técnico Uires Loiola concorda com esses potenciais benefícios da assessoria nutricional para os criadores. “Essas informações são essenciais para os produtores”, frisa ele.

Tecnologia para facilitar acesso a informações

Dentre as diferentes ferramentas que compõem o AssessoNutri, destaca-se o uso da espectroscopia no infravermelho próximo (NIRS). Essa tecnologia analítica tem como principais vantagens a maior agilidade nas análises, o baixo custo, a versatilidade para avaliar diversos compostos orgânicos e o fato de ser uma tecnologia limpa, que não gera resíduos. “Uma análise convencional de alimentos pode levar cerca de 15 dias para dar uma resposta ao solicitante. É um tempo em que, muitas vezes, o animal já mudou de pasto. Com o NIRS, o resultado analítico é obtido em minutos, de forma que uma recomendação nutricional pode ser feita ao produtor em até três dias úteis”, ressalta Marco Bomfim, também pesquisador da área de nutrição animal da Embrapa Caprinos e Ovinos.

Bomfim também destaca que a análise das amostras não utiliza químicos e, por isso, tem características ambientalmente corretas. “A análise de proteína, por exemplo, uma das mais comuns em nutrição animal, gera resíduos poluentes que exigem descarte apropriado. O NIRS evita esse tipo de resíduo.” Outra vantagem é o custo. “Uma análise convencional, sem a recomendação técnica, custa pelo menos R$ 100. Com o AssessoNutri, uma análise completa acompanhada de uma recomendação nutricional na modalidade de boletins regionais custa muito menos. Na região de Tauá, por exemplo, contemplando todos os produtores do município, teria um custo anual aproximado de R$ 7,00 por produtor”, complementa o pesquisador Diego Galvani.

Auxílio para monitorar pastos

De acordo com Marco Bomfim, esse monitoramento ágil e fácil permite, também, o acompanhamento da qualidade das pastagens. “Com o monitoramento, podemos acompanhar sinais de degradação do pasto. Se a qualidade reduzir ao longo do tempo, pode ser um sinal de alerta para os produtores e técnicos.”

Bomfim salienta também que os trabalhos para desenvolvimento do AssessoNutri incluem a possibilidade de ampliação futura do serviço para todo o País e para outros países do mundo tropical. Essas atividades envolveram a formação de bancos de dados com amostras em diferentes regiões do Brasil, o desenvolvimento de equações adaptadas às espécies de caprinos e ovinos e, em breve, contará com um software para facilitar o acesso remoto ao serviço. A pesquisa que originou o AssessoNutri contou com a parceria de universidades brasileiras e norte-americanas, além de organizações estaduais de pesquisa agropecuária.

Potencial de ampliação

A ideia é ampliar o AssessoNutri por meio de acesso remoto na internet, em que um produtor em qualquer ponto do País possa solicitar o serviço, encaminhar amostras para um laboratório parceiro e contar com um técnico credenciado para fazer recomendações.

“O produtor poderá fazer o cadastro da sua propriedade, indicando as características de seu sistema de produção e os objetivos produtivos almejados. Com essas informações, um técnico credenciado emite um laudo nutricional que é direcionado ao produtor de forma remota”, explica Galvani.

Para viabilizar essa ampliação do serviço, além do lançamento, haverá também rodada de negócios no Pecnordeste, na qual clientes interessados, como associações, cooperativas e órgãos públicos, poderão encontrar informações sobre como utilizar o serviço e formalizar contratos de parceria. De acordo com Marco Bomfim, a Embrapa poderá oferecer pacotes de serviços para as instituições, assim como colocar o serviço à disposição para governos que quiserem adotar o AssessoNutri para colaborar com políticas públicas, que possam aumentar a eficiência de recursos alimentares e otimizar programas públicos.

Adilson Nóbrega (MTb 01269/CE)
Embrapa Caprinos e Ovinos
caprinos-e-ovinos.imprensa@embrapa.br
Telefone: (88) 3112-7413

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/24897699/servico-orienta-criadores-para-nutricao-eficiente-de-caprinos-e-ovinos?link=agencia

"Leia e assine Cabra & Ovelha - A Revista do Agronegócio"

"Cabra & Ovelha - Há 12 anos, sua parceira de Verdade"

"Solicite sua assinatura através do e-mail: assinatura@cabraeovelha.com.br"


Voltar